Pesquisa Indica Aumento de Lesões em Ciclistas, nos Estados Unidos


image

A pesquisa citada no portal Globo (http://glo.bo/1N1XnXe), baseada numa notícia da Reuters Brasil, vem ao encontro de um grande problema das grandes cidades: a estrutura ou malha de ciclovias disponíveis. O aumento no número de lesões, obviamente, tem relação direta, também, com o estado das ciclovias ou a falta delas. Cidades preparadas urbanisticamente, a exemplo da Holanda, o número de lesões é menor, logo, faz sentido considerar esse quesito.

Mas há outras razões em questão que precisam ser discutidas.
Sabe-se que realizar esforço de um determinado movimento, por longos períodos, pode ocasionar a LER (Lesão por Esforço Repetitivo). O ciclismo trata-se de uma atividade cíclica, isto é, na qual o movimento repete-se por todo o período que o mesmo é realizado.

Essa repetição que se faz por um dia, semanas e meses, muitas vezes da mesma forma,  se não houver “preparação física  e técnica específicas” para realizá-la, pode promover estresse em articulações, tendões, ligamentos e músculos. Daí boa parte da origem das lesões dessa modalidade.

Quando me refiro a “preparação física e técnica específicas”, quero dizer que o treinamento físico de força e flexibilidade e a educação do movimento, desde que se trabalhem os grupos musculares e gestos desse esporte ou de qualquer outro, reduz o risco de lesão do indivíduo. A necessidade de orientação profissional de um educador físico ou treinador aumenta mais à medida que o cliente tem mais idade, devido aos efeitos deletérios do envelhecimento.

Outro importante ponto é o equipamento utilizado e o ajuste do mesmo para o seu usuário. No caso do ciclismo, o tipo de bicicleta utilizada (Mountain Bike, Speed, etc.), a cadência da pedalada, as alturas do selim e guidão, o uso de capacete, também podem influenciar no maior ou menor risco de lesão.

Concluindo, encontrar formas de disponibilizar melhor estrutura cicloviária é responsabilidade administrativa dos centros urbanos, promovendo e estimulando maior adesão à atividade física e a sua consequente manutenção ou melhora da saúde, isso é fato, mas a responsabilidade individual de lidar com os detalhes intrínsecos da boa prática esportiva deve existir.

Até a próxima!

Anúncios